Arquivos Mensais: Fevereiro 2011

Annie Girardot

Morreu Annie Girardot. Imensa atriz, bela mulher. Faz poucas semanas a revimos, linda, gloriosa, estupenda, em Viver por Viver, que Claude Lelouch fez em 1967, logo depois de Um Homem, Uma Mulher. Ler Mais »

Dilma

A presidente Dilma Rousseff tem recebido elogios rasgados pelo seu jeito de ser. Mas, não fosse o contraponto com o seu padrinho, o que ela não diz ou as obviedades que diz não fariam sucesso. Ler Mais »

E o Oscar vai para a maturidade e a miscigenação

Duas coisas me emocionaram no Oscar deste ano. Uma foi uma prova da sabedoria de um velho. Outra foi o coralzinho desafinado de garotinhos que encerraram a longa cerimônia. Ler Mais »

Daqui a pouco, nunca mais

Hoje, o plano era escrever sobre um certo telefonema e um certo vestido de noiva.

No entanto, atropelada pelo final do horário de verão, adio tudo. Minha amiga, no sul de Minas, há de entender. Ler Mais »

O perigo está por perto

Ele chega todas as noites por volta das dez e começa a remexer no lixo que as pessoas continuam jogando no passeio da esquina em frente. Junta todos os plásticos que encontra, mais alguns objetos inflamáveis, e põe fogo. Ler Mais »

A Espécie Humana. Capítulo 29

a arte é uma forma de fantasia controladaresolvo, como quero, cada detalhe e vou distribuindo as tarefas de meus personagens, sendo eu mesmo um delesestou pensando estas coisas. Ler Mais »

Uma festa na Líbia

Parece mais ou menos um relógio-cuco: de vez em quando salta a cabecinha ameaçadora de um passarinho prometendo – ou ameaçando – que vai “regular” a mídia. Depois o passarinho se recolhe para um período de silêncio, até que alguém o aciona e ele volta com sua promessa em forma de ameaça, ou, dependendo de que lado você está, sua ameaça em forma de promessa. Ler Mais »

Sobre motoqueiros e a Nascimento e Silva, 107

“Rua Nascimento e Silva, 107. eu saio correndo do pivete”… 

Avenida General Olímpio da Silveira, eu saio correndo do motoquete… Ler Mais »

Sem desculpas

Vencer é bom demais. Vencer de lavada costuma ser ainda melhor. Quanto mais na estréia, na primeira vez que se entra em campo. Parece não ter preço. Ler Mais »

Agendas e dentifrícios

Vez ou outra, descubro não ser nada fácil envelhecer em um mundo cada vez mais novo.

Tudo se transformando, algumas coisas sumindo, ó, nunca mais. Ler Mais »

Filme preferido

Recebi do Bob Tostes, amigo que engrandece esta nossa cidade, um pedido e dois presentes. Os presentes são dois CDs que ele criou em parceria com Marcelo Gaz: Horizonte, que ele deve lançar brevemente, e Suspense (the short night). Ler Mais »

A Espécie Humana. Capítulo 28

o dia dois de julho é o exato meio do ano, falou meu pai, estando nós dois sentados na grama, atrás da casa, voltados para a cachoeira, enquanto o menino andava ao longe, para lá e para cá, vigiando os passarinhoso dia dois de julho é o exato meio do ano. Ler Mais »

Barba, cabelo e bigode

Além de ser o pior regime do mundo, com exceção de todos os outros, a democracia tem a vantagem de proporcionar alguns espetáculos de surrealismo político que podem torná-la impagável também no ramo do entretenimento. Ler Mais »

Nós, os que não sabemos tomar a praça

Haverá fundo do poço mais fundo do que este em que está a política brasileira? Ler Mais »

Brasil, país rico é…

Governantes adoram bordões publicitários. Crêem que eles podem imortalizá-los. O Brasil já viu vários deles. Alguns, assertivos, como o lema dos “50 anos em 5” de Juscelino Kubitschek. Ler Mais »