Eles não nos deixam apenas grandes calamidades

Se você acha que os oito anos de lulo-petismo só deixaram pesadas, gigantescas heranças, essas, sim, malditas, das quais o país levará décadas para se livrar, está muito enganado.

Está certo: deixam ao país a pesada, a gigantesca carga de um sistemático trabalho de destruição dos maiores valores morais que pode haver. Transformaram violação de sigilo fiscal – algo por definição inquebrantável, em qualquer regime que se quer democrático – em “factóide”, em “queixumes”.

Transformaram a compra sistemática de apoio político de parlamentares em caixa 2, “coisa que todo mundo faz”.

Passaram oito anos tentando demonstrar aos jovens que não é preciso estudar. Insistiram na tecla de que um “simples torneiro mecânico sem diploma” pode ser presidente da República, e o melhor de todos. Lula, pessoalmente, passou oito anos se vangloriando, nos dois discursos diários que fez (já que sentar-se no gabinete e trabalhar não é propriamente a dele), do fato de não ter estudado.

Passaram oito anos tentando reescrever a História, de tal maneira a fazer as pessoas acreditarem que o governo Fernando Henrique Cardoso destruiu a economia, causou inflação de até 80% ao mês, e eles chegaram para consertar tudo e acabaram com a inflação e transformaram o Brasil nesta grande potência.

Querem fazer crer que o regime dos Castros finalmente libertou presos políticos por interferência direta de Lula. Ou talvez de Dilma – opa, não é uma má idéia botar isso na propaganda da TV: quem sabe cola?

Passaram oito anos tentando jogar no lixo séculos de história de bem-aventurada miscigenação, como houve em pouquíssimos lugares no mundo, para criar duas raças puras – os brancos de um lado e os negros, aí incluídos todos os matizes de pardos ou mulatos.

Fizeram um esforço hercúleo para que o país abandonasse completamente qualquer critério com base em mérito, substituído por benefícios, benesses para este ou aquele grupo.

Mas, se você acha que os oito anos de lulo-petismo só legaram ao país grandes calamidades, ah, meu amigo, você está profundamente enganado.

Eles nos deixam também pequenas calamidades.

Como, por exemplo, a tomada jabuticaba.

zzzzzjabuticaba

Só mesmo no governo lulo-petista a ABNT, a Associação Brasileira de Normas Técnicas, poderia criar um monstro como a tomada jabuticaba.

Existem no mundo uns três ou quatro tipos de tomada elétrica. O Brasil do lulo-petismo resolveu criar um novo tipo – que só vale no Brasil, que só existe no Brasil, e que todo brasileiro é obrigado a ter.

O governo do paizão que legisla até sobre as palmadas que pai e mãe podem ou não dar na bundinha do filho resolveu, com seu centralismo democrático, que você é obrigado a trocar todas as tomadas elétricas da sua casa pela nova invenção deles, a tomada brasileira, a tomada jabuticaba.

É claro, é óbvio: a tomada jabuticaba é coisa pequena, de somenos importância. Coisa pouca.

Mas, cacilda, além de destruir valores morais, além de querer destruir a história, os caras tinham também que fazer a gente ter que destruir paredes, jogar fora fiação, trocar todas as tomadas da casa?

Postado em 4/9/2010

Um P.S.: Muito tempo depois que escrevi este Jus Sperneandi, um amigo das redes sociais, Rafael Noronha, postou no Facebook a foto que agora ilustra o texto. Diz ele que, ao ver a foto, se lembrou deste texto aqui. Obrigado, Rafael!

7 Comentários para “Eles não nos deixam apenas grandes calamidades”

  1. Sobre as tomadas ‘jabuticaba’ elas não são uma criação do período do governo Lula, nem são simplesmente fora dos padrões mundial, tem que se levar em conta a segurança que traz para os lares e usuários em geral.
    Não sou defensor do PT(como um todo), mas este modelo deveria ser padronizado no resto do mundo.

  2. Ia até comentar sobre as jabuticabas, mas perdi o texto, verdade.
    Plantei. Colhi. Comi.
    Mais ou menos como: Vim, vi, venci.
    Jabuticaba é coisa de Deus para quem comeu no pé. Abraço. Não quero ver minhas jabuticabas envolvidas. Jabuticabas estão além do bem e do mal… os dias em que as pessoas forem pais de uma jabuticabeira, vão me entender.
    abraço sincero.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *