Lula não elevou o nível do mar

O ex-ministro Delfim Neto, desde seus tempos de czar da economia da ditadura, cultiva um sarcasmo bem peculiar. Ele, que fora dos holofotes costuma dizer o que não é politicamente correto dizer em público, definiu melhor aquilo que o governo Lula apresenta como uma de suas maiores façanhas. Continue lendo “Lula não elevou o nível do mar”

Guinle e o tijolo

Para ser franco, acho absolutamente fascinante uma pessoa viver longos 88 anos sem nunca ter trabalhado. Principalmente se, nessa quase centenária vagabundagem, usufruiu sempre daquilo que os trabalhadores classificam como “do bom e do melhor”. Continue lendo “Guinle e o tijolo”

Historinhas de redação (6): o fulcro do assunto, ainda

Um dos grandes diferenciais do velho Jornal da Tarde, em seus tempos gloriosos, era o lead. O problema é que, para contar esta historinha sobre Marcos Faerman, lenda do jornalismo brasileiro, é preciso fazer um nariz-de-cera, que é o anti-lead. Continue lendo “Historinhas de redação (6): o fulcro do assunto, ainda”

Irmãos de alma

Estamos entrando na última semana de 2010, ano que coroou de glórias o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas nem os sucessivos recordes de popularidade e o fenomenal feito de inventar e moldar sua sucessora fazem de Lula o maior vitorioso do ano. Continue lendo “Irmãos de alma”

A Venezuela ensaia um não

Alguma coisa está mudando na Venezuela. Ainda que a assembléia agonizante, formada só por deputados chavistas, tenha prestado ao proto-ditador o último serviço, concedendo-lhe plenos poderes para legislar por decreto durante 18 meses, as ruas das cidades, os campos e as universidades estão começando a demonstrar sinais de inquietação e impaciência diante do surto autoritário do coronel presidente e da precária situação da economia do país. Continue lendo “A Venezuela ensaia um não”

Feliz Natal, garoto

Confesso que jamais havia escutado um assobio igual. Fino, sibilante, penetrante, nem sei direito como defini-lo. A verdade é que passei a escuta-lo em muitas manhãs perto da minha casa, vindo dos lados do Portinho, mais forte ou mais fraco, dependendo do vento. Continue lendo “Feliz Natal, garoto”

Registrado, mas quem dá fé?

De todas as idéias marqueteiras utilizadas pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva – e olha que não foram poucas – é difícil achar uma mais desprezível do que a de registrar em cartório os feitos dos oito anos de mandato, ainda por cima com festa, pompa e circunstância. Continue lendo “Registrado, mas quem dá fé?”