Arquivos Mensais: março 2010

Que os anjos recebam bem Jean Ferrat

A voz de Jean Ferrat é belíssima. É uma voz grande, poderosa, cheia, envolvente. O timbre – essa coisa pessoal, única, como a impressão digital – é bonito, é nobre, é rico. Ler Mais »

Balão de ensaio

A hipótese de o presidente Lula se afastar do cargo em agosto e setembro para mergulhar de cabeça na campanha de sua candidata Dilma Rousseff parece mais um daqueles engenhosos balões de ensaio que seu governo e o PT tão bem sabem inflar. Possivelmente dita por uma “fonte quente” para ser desmentida em seguida, quiçá pela própria fonte, como uma idéia maluca. Ler Mais »

1.100 livros da biblioteca de Mindlin, no seu computador

Há duas bibliotecas em construção na USP para abrigar 17 mil títulos doados pelo empresário e bibliófilo José Mindlin, morto aos 95 anos, no dia 28 de fevereiro de 2010. A primeira, de concreto, pode demorar um ano para ficar pronta. A outra, virtual, está funcionando. Já tem disponíveis cerca de 3.500 documentos, dos quais 1.100 livros. Ler Mais »

Tudo com H…

Tenho um irmão chamado Juarez, que tem um empregado chamado Nico.

Na fazenda São Bento, onde os dois moram, e onde o Nico nasceu e cresceu, de vez em quando acontece: depois de nove meses de prenhez, uma novilha tem a primeira cria. Ler Mais »

Ou não tem caráter, ou perdeu o juízo

“Se Lula se diz um democrata, não pode aceitar a ditadura cubana. Se aceita, não é democrata.” É uma bela e corretíssima conclusão esta, que Merval Pereira expõe em seu artigo de hoje (quarta, 10 de março) no Globo, com base no princípio da contradição de Aristóteles – quando há duas proposições contrárias, e uma verdadeira, então a outra é necessariamente falsa. Ler Mais »

A Cadeira do Visconde

Só bem olhando é que se percebia que aquela não era uma cadeira comum. Tinha o encosto alto, e, tanto quanto o assento, era revestido com veludo verde-musgo. Os braços e detalhes do espaldar do móvel revelavam artísticos trabalhos. Flores, pequenas flores em relevo. Ler Mais »

Meu primeiro mar

Estou com 18 anos. Há apenas três dias vi o mar, pela primeira vez. Seu nome era Ariovaldo. Eu o acabara de conhecer junto ao balcão de um banco na Avenida Amazonas. Ele me contou que, na semana que viria, iria satisfazer um desejo que o perseguia desde seus tempos de menino: viajar ao Rio de Janeiro para conhecer o mar. Ler Mais »

Carta aberta ao presidente da República

Rio de Janeiro, 5 de março de 2010

Presidente Lula:

O senhor, no dia 24 de fevereiro próximo passado, em Havana, Cuba, ao ser interpelado sobre por qual motivo não atendera aos pedidos dos dissidentes cubanos que gostariam de conversar consigo, declarou que não recebera carta alguma e que “As pessoas precisam parar com o hábito de fazer carta, guardar para si e depois dizer que mandaram.” Ler Mais »

Lembrando de uma frase de uma canção de Silvio Rodríguez

a gente foi-se juntando aos poucos;

peludos, grunhidos selvagens.

entre berros e pauladas

fomos entendendo o poder da união. Ler Mais »

Atração fatal

A indignação que atos de repressão, cerceamento de liberdades, prisões arbitrárias e assassinatos por discordância a regimes autoritários provoca à maioria dos mortais parece pouco incomodar o governo do presidente Lula. O vexame de Cuba nesta semana foi só mais um exemplo. Ler Mais »

Minha cidade em dois tempos

Era um simples vilarejo onde alguns moravam e outros passavam. Era um vale ao pé da montanha, a Serra do Curral. Desenharam aqui a capital republicana, cidade planejada, sonhada para ser perfeita. Operários a construíram: paredes, casas, ruas e avenidas. E foram morar na periferia. Funcionários públicos ocuparam os lugares nobres. Ler Mais »

O trem que não existiu, mas existiu

Em julho, comemoram-se cem anos de nascimento do criador de um trem que não existiu. Embora tenha existido… Falamos de João Rubinato, nascido em Valinhos, em 1910, de família pobre. É ele o autor do grande sucesso do repertório nacional “Trem das Onze”. Embora, na verdade, o autor seja Adoniran Barbosa, morto em São Paulo, em 1982. Ler Mais »

Uma canção de Chico, outra também

Há alguns meses – setembro, outubro – um e-mail de Leonel Prata me contava que ele estava trabalhando na edição de um livro sobre a obra do Chico. O Buarque, é bom que se esclareça. Afinal, convivemos com Chicos e mais Chicos, todos merecidamente conhecidos. Ler Mais »

O encanto de descobrir Manoel de Barros

Premiado no Festival Paulínia de Cinema de 2009 como melhor documentário, Só dez por cento é mentira tem conquistado elogios e aplausos onde é exibido. Pedro Cezar, seu diretor, fez um filme lúdico sobre o recluso Manoel de Barros, poeta sul-mato-grossense respeitado nacional e internacionalmente como um dos mais originais do século passado e mais importantes do Brasil. Ler Mais »

O artigo de Alberto Dines que foi censurado

Alberto Dines – um dos nomes mais importantes da história do jornalismo brasileiro – foi censurado pelo portal Último Segundo, do iG. Há cinco anos Dines escrevia um artigo semanal para o portal; semana passada, para publicação na sexta, dia 27 de fevereiro, ele escreveu sobre a viagem de Lula a Cuba e a morte do preso político Orlando Zapata Tamaya. Ler Mais »