Arquivos Mensais: dezembro 2009

O filho de Dona Diva

Não sabia da Dona Diva, mas acompanho com atenção, há muito tempo, o filho dela. Erasmo Carlos é uma unanimidade para quem o conhece, mesmo de longe. Ler Mais »

A chave do lado de dentro

O homem fez sinal, o motorista parou o táxi, abriu a porta e pegou a mala que a mulher lhe estendeu.

O homem olhou a mulher, olhar demorado, beijo rápido, o motorista fechou a porta do táxi, ele foi, ela ficou. Ler Mais »

Titia peladona

– Não – disse o diretor de redação. – Não aceito e está acabado. Na minha revista, o nu tem classe. E quem decide quem tem corpo, cara e estilo para merecer nossas páginas sou eu. Ler Mais »

O champagne da impunidade

As festas de final de ano são uma bênção para toda sorte de políticos enredados em falcatruas.

Gente como o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, seus comparsas fora e dentro da Câmara Distrital, além de seu algoz, o ex-policial Durval Barbosa, têm a certeza de que poderão se aproveitar do calendário, e contam os minutos para abrir o champanhe da impunidade. Ler Mais »

Um lugar para as flores

Silvie, uma querida amiga francesa, possui bela casa em Saint-Pierre-Sur-Mer, na Riviera. À frente da vivenda que se debruça sobre águas de azul profundo, há um lindo muro de pedras no qual vivem viçosos tufos de primaveras (buganvílias) de muitas cores, além de outras plantinhas cobertas de botões brancos, vermelhos, alaranjados. Ler Mais »

O fim do Fino

José Ferreira da Silva era um fotógrafo magro como um palito; não sei como carregava aquele equipamento pesado da época. Foi ao lado dele que eu, repórter da revista inTerValo, bati à porta do apartamento de Elis Regina no dia 20 de junho de 1967, logo após saber que o programa O Fino da Bossa havia acabado na véspera, havia sido tirado do ar, havia deixado de existir. Ler Mais »

O Irã tem muito a ensinar ao pessoal da Confecom

A imprensa iraniana foi proibida de publicar fotos do grande aiatolá Hossein Ali Montazeri, nos dias que se seguiram à sua morte – ele morreu domingo, dia 20 de dezembro. Um dos últimos jornais de oposição ao governo ainda em circulação, o Andishe-no, foi fechado na segunda-feira, 21. Jornalistas estrangeiros foram proibidos de cobrir as cerimônias fúnebres na cidade sagrada de Qom. As redes de celulares e de internet foram interrompidas e os sinais de TV do exterior foram tirados do ar. Ler Mais »

Carnes flagradas

O delegado Guilhermino desceu da viatura e constatou: a placa ainda estava lá. Apontou para o tira ao seu lado:

– Olha lá. Rodízio. Promoção por tempo limitado. Cem reais. É um crime, eu não disse? Ler Mais »

As torres gêmeas e Hiroxima

vovô, qual é a diferença entre as torres gêmeas e Hiroxima? Ler Mais »

Na Avenida da Liberdade

A página está em branco mas eu já não estou. Escrevi, sem saber que estava escrevendo, uma vida. Ainda bem que não cheguei no ponto final, que espero esteja longe. Há um piano tocando ao fundo, mas o som é aquele pasteurizado, próprio do ambiente dos hotéis. Existem pessoas e mesas calmas ao meu redor. Tento seguir o conselho de minha amiga e manter a mente livre. Há um oceano me afastando fisicamente do Brasil (a alma viaja viaja longe) e eu não vou gastar esse meu tempo disponível me preocupando com o ódio que o atual Ministério da Cultura tem pela música brasileira e seus compositores. Ler Mais »

Em nome do povo, contra o povo

Democratizar os meios de comunicação em defesa do interesse popular. Essa cantilena será exaustivamente repetida durante as plenárias da 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) que começa nesta segunda-feira, dia 14, em Brasília. Ler Mais »

A censura, sob nova direção

O que a Suprema Corte do País decidiu, hermenêutica à parte, é o seguinte: o cidadão Fernando Sarney, membro do clã político de José Sarney, que o acaso tornou Presidente da República e que há 40 anos é potentado político do Estado que tem o segundo pior Índice de Desenvolvimento Humano do País, tem todo o direito de manter em segredo perante a opinião pública todas as tenebrosas transações que andou fazendo para tirar proveito particular do uso dos bens públicos. Ler Mais »

A quem atende o Supremo ao manter a censura ao Estadão?

Como muitos, também me vi surpreso com o julgamento do STF que manteve a censura ao jornal O Estado de S. Paulo, vez que fundamentado no tecnicismo jurídico deixou de cumprir a missão de manifestar-se sobre o que realmente importa, como alguém um dia já disse “duela a quem duela”… E fiquei pensando, pensando, na verdade procurando justificar, já que o Supremo é um dos três poderes da República, mas aquele cujas decisões não se discute, se cumpre! Ler Mais »

Minueto do cocozinho teimoso

Cocozinho teimoso,

já chegou tua hora; Ler Mais »

A coisa melhor do mundo

Eu tenho 18 anos e faço planos. Como sou mulher, faço planos de mulher: estudar (hoje as mulheres estudam), trabalhar (hoje as mulheres são independentes), casar (hoje, como sempre, as mulheres se casam). Como tenho 18 anos, o mundo está na minha frente e é nele que eu mergulho todos os dias: faculdade pela manhã, trabalho à tarde, namoro à noite. Ler Mais »