O menino, o benzedor e a galinha preta

Nasci em Nova Europa, região central do Estado de São Paulo, mas ainda recém-nascido fui levado por minha mãe para a Mombuca, uma seção da Fazenda Guatapará, um enorme latifúndio de 17 mil hectares espalhados pelo município de Ribeirão Preto, onde passei parte da minha infância convivendo com as sequelas da pólio. Ler Mais »

Uma pausa – mas o murro em ponta de faca continua

Esta semana já não tem mais o “Más notícias do país de Dilma” naquele formato que virou até tradicional. Más notícias houve, é claro, e muitas, nos últimos sete dias, assim como ao longo dos quatro últimos anos. A pior de todas, é claro, foi aquela das 8 horas da noite do domingo, 26 de novembro. Ler Mais »

Recém-eleita – e já pato manco

É uma regra universal: não há ninguém mais poderoso, numa democracia, do que um presidente recém-eleito. Ler Mais »

Volume morto

Em benefício do fígado e do bolso, a lei seca baixou aqui em casa nas segundas e terças. No resto da semana, tomamos os drinques regimentais, em um happy hour tardio. Ler Mais »

Não vamos nos dispersar

Dilma venceu. Pode-se – e devemos fazê-lo – discutir os métodos para se chegar à vitória: mentiras, agressões pessoais, desconstrução, a palavra-chave desta campanha. Muito ódio. Ler Mais »

Tivemos 51 milhões de votos

É assim: não dá para venezuelar, argentinizar, bolivarizar. Ler Mais »

Brigitte Bardot casou virgem

zzbb1

Bri­gitte Bar­dot é a antí­tese – antí­tese mar­xista, mesmo – de Marilyn Mon­roe. O léxico de BB nem sequer incluía a pala­vra “sexo”; já o léxico de Marilyn não pre­ci­sava de mais nenhuma. Ler Mais »

Os eleitores voltaram às ruas

Uma eleição marcada pelo imponderável. Da fatalidade que tirou a vida de Eduardo Campos à ascensão e queda de Marina Silva, golpeada com sordidez pela campanha petista. Da reviravolta no primeiro turno; do sobe-e-desce das pesquisas de opinião ao empate que impede qualquer grito de vitória antecipada. Ler Mais »

Más notícias do país de Dilma volume 160 – e chega!

Foi uma campanha eleitoral cheia de surpresas, de grandes mudanças, marcada pela tragédia absurda da morte de Eduardo Campos, e que chega ao dia definitivo, o dia do segundo turno, sem que nenhum dos dois lados possa se considerar vitorioso. Será, com toda a certeza, a eleição mais disputada até o último voto de todas as que vieram após a redemocratização do país. Ler Mais »

Não vamos desistir do Brasil

Oh! Minas Gerais… Oh! Minas Gerais,

Quem te conhece não esquece jamais…

Oh! Minas Gerais… Ler Mais »

Dois países e uma escolha

Ganhe ou perca as eleições o PT já cumpriu a sua missão: dividiu o Brasil em dois e institucionalizou o maniqueísmo como política de Estado. Ler Mais »

Más notícias do país de Dilma (159)

Pela legislação trabalhista brasileira, não aparecer no local de trabalho por 30 dias consecutivos caracteriza abandono de emprego. Nesses casos, a empresa tem todo o direito de demitir o funcionário. Ler Mais »

Por que votar em Aécio, por que não votar em Dilma

A candidatura Aécio tem a consistência do compromisso com a estabilidade e o desenvolvimento econômico, corroídos na gestão Dilma

Por Celso Lafer

“A democracia tem como um dos seus componentes essenciais eleições livres e disputadas, cujo resultado define quem vai governar ‘contando cabeças e não cortando cabeças’, na sintética formulação de Norberto Bobbio. Ler Mais »

Ser pé-de-cana é direito de todo cidadão

Roraimense é pé-de-cana como qualquer brasileiro que goste de uma abrideira, aca, aço, a do ó, água-benta, água-bruta, água de briga, água de cana, água que gato não bebe, água que passarinho não bebe, aguardente, aguarrás, águas de setembro, alpista, aninha, arrebenta-peito, assovio de cobra, azougue, azuladinha, azulzinha, bagaceira, baronesa, bicha, bico, birita, boa, borbulhante, boresca, branca, branquinha, brasa, brasileira… Ler Mais »

É para mudar. É para libertar o país

Participar do compromisso patriótico hoje me deixou feliz, com a alma lavada. Delícia estar junto de um monte de gente que tem esperança de mudar este país. Ler Mais »