Apesar de Bolsonaro

Dos três grandes jornais de circulação nacional, a Folha de S. Paulo foi o que teve a manchete mais correta nesta terça-feira, 7 de abril. A do Globo chamou a atenção para um detalhe importante – mas em seguida teve um tropeço. E O Estado de S. Paulo, numa decisão editorial que me parece incompreensível, optou por não dar importância ao grande fato do dia. Continue lendo “Apesar de Bolsonaro”

O herói e os canalhas

Agora vejam o herói. Tem um nórdico metro e cinquenta e dois e ia ganhando a guerra. Mas antes de falar deste finlandês de olhos agudos e mãos camponesas nas quais quase podemos apalpar a ternura com que o indicador direito acaricia o gatilho, deixem-me chamar aqui os canalhas. Continue lendo “O herói e os canalhas”

A mentira como política de governo

Diante de um pedido de explicação feito pelo STF, a Presidência da República, por meio da Advogacia Geral da União (AGU), afirmou que os atos de Jair Bolsonaro estão de acordo com “as políticas adotadas no mundo e com as recomendações científicas, sanitárias e epidemiológicas”. Continue lendo “A mentira como política de governo”

Uma no Cravo, outra na Ferradura!

Foi o que fez o nosso ilustre presidente nesta semana.

Depois de ter dado uma martelada errada na ferradura, interpretando maldosamente a declaração do Tedros Adhanom, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), apareceu pouco depois, em cadeia (não, não aquela) nacional com um pronunciamento que beirou o equilíbrio emocional e, quase, a lucidez. Continue lendo “Uma no Cravo, outra na Ferradura!”

O amor nos tempos do coronavírus

Uma janela de décimo andar é um bom lugar para um sujeito aborrecido se apoiar nos cotovelos e apreciar a paisagem. O duro é que nada muda na paisagem. Fazia já duas semanas que se isolara para fugir do vírus. Nem mesmo na vizinhança havia novidade. Em um prédio, um pouco distante, via uma mulher à janela. Sempre a mesma, na mesmíssima janela. Continue lendo “O amor nos tempos do coronavírus”

Covid-19 reinventa o Estado forte

A recessão mundial de grandes proporções que bate à porta da humanidade coloca o papel do Estado como essencial para responder a esse grande desafio. A rigor, ele é chamado a socorrer a economia em momentos de grave crise, como na Grande Depressão de 1929, nas Guerras Mundiais do século passado ou em outras crises sistêmicas. Continue lendo “Covid-19 reinventa o Estado forte”

O Brasil tem que parar Bolsonaro

Por insanidade, egocentrismo, cálculo político, má-fé ou tudo isso junto, na semana passada o presidente Jair Bolsonaro iniciou mais uma guerra. Disparou tiros para todo lado, alguns fatais, como o afrouxamento do isolamento social, outros nos seus próprios pés. Na tentativa de destruir desafetos, acertou a culatra ao dar palanque nacional aos governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, pré-candidatos à Presidência em 2022. Continue lendo “O Brasil tem que parar Bolsonaro”

Anotações de um confinado

Se minha situação fosse de preso na penitenciária, teria uma pequena vantagem. A leitura de livros abate tempo de pena. Livros, tenho. Mas o tempo de reclusão está nas mãos de nossas autoridades da área de saúde. Bem, espicho o olho para os mirrados salvados da mudança de minha casa para um apartamento. Continue lendo “Anotações de um confinado”

Manicômio!

Procurando ainda as palavras para definir a situação em que se encontra o mundo e, especialmente, a situação em que o presidente Jair Bolsonaro colocou o Brasil depois do seu pronunciamento da última terça-feira, mas não encontro. Continue lendo “Manicômio!”

O país precisa achar uma forma de se livrar desse doente

Jair Bolsonaro quer que as escolas sejam reabertas, que o comércio seja reaberto. Assinou medida provisória para que igrejas e lotéricas fiquem abertas. As escolas continuam fechadas. O cardeal-arcebispo Dom Odilo Scherer determinou que as missas em São Paulo continuem suspensas. As ruas das maiores cidades do Brasil estiveram tão vazias nesta quinta-feira quanto estavam na terça, antes do pronunciamento hara-kiri do presidente da República. Bolsonaro fala, o Brasil responsável toca em frente. Continue lendo “O país precisa achar uma forma de se livrar desse doente”

O papa apóstata

São Pedro

De que cor são os olhos do Papa Francisco? Apesar de já se ter derramados sobre eles a indecifrável cor da velhice, são claros como os do meu avô Brigas, que ofereceu o corpo a cargas contrabandistas, antes de ser emigrante na Argentina. Terá o avô Brigas cruzado em Buenos Aires o menino Bergoglio? Que interessa. O que eu queria dizer é que os olhos de Francisco se iluminam sempre que sorri. Ou seja, iluminam-se muitas vezes. Continue lendo “O papa apóstata”