A República familiar vence

Gustavo Bebianno fica, Bebianno cai, fica de novo, cai. O que menos importa é o destino do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, um aliado de primeira hora do então candidato Jair Bolsonaro, que se tornou coadjuvante de um roteiro explosivo protagonizado em dupla pelo papai presidente e o filho do meio, Carlos. Mais uma absurda e desnecessária confusão de um governo que adora promovê-las.

Continue lendo “A República familiar vence”

Lendo na chuva. Ou na piscina

O livro de papel, depois a tela do e-book. E, agora, o e-book à prova d´água. Uai, pensei, mesmo não sendo mineiro.  Pra que isso? Não sei por que lembrei do Gene Kelly dançando na chuva, com guarda-chuva mas todo molhado. Hoje poderíamos, além de dançar, ler? Continue lendo “Lendo na chuva. Ou na piscina”

As estrepolias de Juca e Chico

Bem, sou antiga mesmo. E como tal, trago para vocês Juca e Chico – História de Dois Meninos em Sete Travessuras (Max und Moritz – Eine Bubengeschichte in sieben Streichen), título do livro infantil publicado em 4 de abril de 1865 pelo humorista, poeta e desenhista alemão Wilhelm Busch, que narra as astuciosas aventuras de dois irmãos. Continue lendo “As estrepolias de Juca e Chico”

Um governo em luta contra si mesmo

O governo Bolsonaro se parece com a “Quadrilha” de Carlos Drummond de Andrade – com o detalhe de que ali todos são como a Lili, que não amava ninguém. Na quadrilha de Bolsonaro, fulano fala mal de fulano que critica sicrano que não suporta beltrano que vai a público desancar com fulano. Continue lendo “Um governo em luta contra si mesmo”

A educação acima de tudo

Do ministro da Educação exige-se capacidade e liderança para conduzir um amplo consenso nacional com vistas a levar o sistema educacional a um novo patamar, condição sem a qual o Brasil não alcançará o crescimento sustentado. Espera-se, sobretudo, que ele coloque foco na aprendizagem do aluno, o grande calcanhar de Aquiles da educação brasileira. Continue lendo “A educação acima de tudo”

O meu reino por uma galinha

Levantou-se o mundo inteiro contra as galinhas de Ernie Hausen. Mesmo eu, nas galinhas depenadas de Ernie só vejo, horrorizado, os meus pintainhos. E nem sei bem se começo pelo Wisconsin que viu nascer Ernie, se pela Luanda colonial que fazia a alegria dos pintos e dos quá-quás amarelinhos que minha mãe e meu pai criavam numa capoeira multicultural em que as galinhas conviviam com patos e patas, um ganso, mesmo alguns reservados e fugidios coelhos. Também tivemos um macaco, mas esse não é desta história. Continue lendo “O meu reino por uma galinha”

Ná tem na voz um show

Ná Ozzetti escolheu o Sesc Pompéia para apresentar, em duas noites, as de sábado, 9, e domingo, 10 de fevereiro, o show em que comemora 40 anos de carreira. Não poderia mesmo ser outro lugar: Ná Ozzetti e o teatro do Sesc Pompéia combinam perfeitamente, como feijão com arroz, goiabada e queijo. Continue lendo “Ná tem na voz um show”

ALgazarra!

Na sexta-feira passada eu estava meio ocupada com uma série de afazeres, mas curiosa pra saber como estava sendo a votação para a presidência do Senado. Abri rapidamente o iPad e a primeira coisa que li foi “Kátia Abreu rouba pasta de Alcolumbre”. Continue lendo “ALgazarra!”

Sem técnico, o jogo anda

Depois de muitas cabeçadas, trombadas, idas e vindas, vindas e idas, na primeira semana de fevereiro o novo governo começou a mostrar a que veio. Colocou na mesa projetos arrojados de combate à corrupção e à criminalidade, reivindicados pelos brasileiros que foram às urnas no ano passado, e da reforma da Previdência, o mais necessário e polêmico de todos. Tudo certo, menos em um detalhe: faltou o titular. Continue lendo “Sem técnico, o jogo anda”

Os ventos sopram a favor

A fortuna sorri para o presidente Jair Bolsonaro neste começo de governo. Favorecido pela eleição de Rodrigo Maia para a presidência da Câmara de Deputados e de Davi Alcolumbre para a do Senado, ele está em condições de cumprir suas duas principais promessas eleitorais: levar adiante os projetos de lei de combate ao crime organizado e à corrupção e tocar as medidas para a reforma da Previdência. Continue lendo “Os ventos sopram a favor”

São São Paulo, Mon Amour

Ainda não tinha tomado nem o primeiro chope quando me ocorreu que faz mais de 40 anos que moro neste bairro. A não mais de quatro quadras daquele lugar exato em que fica o bar, na esquina de João Ramalho com Sumaré. Peguei um guardanapo para fazer a conta: 2019 menos 1977, 42!  Continue lendo “São São Paulo, Mon Amour”